segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A escrita existe há milhares de anos e de outra forma até; BH, 02101102000; Publicado: BH, 018012013.


A escrita existe há milhares de anos e de outra forma até
Há milhões de anos, porém, a escrita não envelhece; tem
Gente que pensa, que o que se escreve pelo universo
Afora, é velho, não é novo, pois não conhece o nascer do
Sol, todo dia de manhã; sei bem que não existe compacidade
Na minha escrita, não tenho o verbo compacto e na minha
Regência, cujas partes são muito juntas, sofro com meus
Vazios e falhas; não tenho o meu pensamento inteiriço, o
Espírito sólido e o ideal comprimido, não consigo liberar,
Soltar, como antigamente se soltava, o disco sonoro de
Sete polegadas; tenhais compadecimento de mim, me
Livrais do meu empobrecimento, venhais compadecer-vos,
Compadres, da minha falta de cultura; venhais, meus
Padrinhos, para que eu tenha um sentimento, em relação
Aos meus pais e que seja uma pessoa batizada, pai de 
Pessoas batizadas e que tenha boa relação com os 
Padrinhos; preciso de um compadrio, de compadres, de 
Uma proteção exagerada, até de um certo favoritismo, 
Para a minha obra; não tenho como negar, mas sou digno
De compaixão, o sofrimento que causa-me o mal alheio é
Maior do que o infinito e a minha piedade é eterna; choro
Por minha companheira em silêncio, choro pela mulher que
Acompanha-me, é minha amiga, minha amante, esposa;
E só não é a mulher que explora as mesmas ideias que eu,
Porém, não nascemos para pensar iguais; e por mais e mais
Companheirão, amigo, fiel, que a gente pensa que é um do
Outro, a companhia do pensamento é totalmente diferente,
É o companheiro, que acompanha, é o colega, o camarada
A acompanhar, a fazer um acompanhamento, porém, na
Reunião de pessoas para um fim comum; e a subdivisão de
Um batalhão, é cada um a pensar mais diferente do que o
Outro; é a empresa comercial, ou industrial formada por
Acionista, sociedade anônima e sem comitiva, sem convivência,
Não dá nem para fazer uma comparação, fazer um jeito
Comparador, um gesto que compara, como instrumento para
Medição precisa de pequenas distâncias; e confrontar para 
Conhecer as semelhanças, as diferenças a comparar, a analisar,
Para pensar se é semelhante, ou igual sem pôr-se em 
Confronto, sem rivalizar-se, não dar para ser comparativo e
Se emprega comparação, o que tem o pensamento
Comparável, que pode ser confrontado, foge para não
Comparecer, não apresentar-se em local determinado,
Aparecer e ir ao juízo; cobrais o comparecimento, a 
Presença de alguém e nada a apresentação judicial 
Fica vazia; mas, sou um comparsa da verdade, mesmo
Que queirais fazer de mim um participante de um 
Espetáculo teatral insignificante; sou sempre cúmplice
Da verdade, parceiro da liberdade e não faço parte 
De comparsaria para compartilhar, partilhar com
Alguém o mal na vida os outros, compartir com com
Comparsas para roubar a vida, ou os bens de alguém;
Comigo não dá, pretendo aumentar meu compartimento,
Cada uma das divisões da minha casa, minha gaveta,
Minha caixa craniana, meu cérebro; dividir em compartimentos,
Compartilhar, repartir e compassar meu coração;
Medir o compasso do peito, fazer mover lentamente
Minha vida, tornar-me vagaroso para ir bem longe;
Cada vez mais distante, cadenciar-me, moderar-me,
Para espaçar cada vez mais meu ser e que seja
Sempre compassível, passível de compaixão, ser o
Que se compadece com facilidade, sensível como toda
A escrita já surgida até hoje e continuada com
Compassividade da nova escrita que virá.


Nenhum comentário:

Postar um comentário