terça-feira, 1 de agosto de 2017

É a dipsomania e o impulso mórbido e irresistível; BH, 029031030030402001; Publicado: BH, 0120102014.


É a dipsomania e o impulso mórbido e irresistível
Que, leva à ingestão de grande quantidade de bebidas
Alcoólicas; é no alcoolismo que digo, sou dipsomaníaco, é do que
Sofro e por isso tenho o pensamento trêmulo; e
É por isso que penso que sou um díptero que tem duas
Asas, da espécime dos dípteros, da ordem de insetos; e
De aparelho bucal libador, pungitivo, como as moscas e os
Mosquitos; e cada díptico, as tábuas duplas que se fechavam
Como um livro, guarnecidas internamente de uma
Camada de cera, sobre a qual se escrevia com
Um estilete o nome dos principais magistrados romanos; e
Nada se aproveitou, pois a pintura, o baixo-relevo,
Em duas peças que se fecham como um livro, não curou o
Dípode, o bípede, que tem dois pés cambaleantes e enxerga
Por diplopia, por visão dupla de um objeto, na ambliopia; e da
Cachaça que não faz nenhum indivíduo ser versado
Em diplomática; cortês no porre, discreto quando
Bêbedo e o diplomático, perde a diplomacia e tudo a
Ela respeitante; perde a paleografia, a arte da leitura
E conhecimento dos diplomas antigos, e é até um
Quadro triste, um diplomata, uma pessoa que se trata de
Um representante de um Estado, junto a outro,
Com diplomacia fina, de maneiras distintas, caído na
Esquina; apesar de hábil em negócios e no tratamento;
O álcool não sabe como diplomar ninguém, não sabe
Conferir e nem receber a nenhum diplomado para que
Depois ele passa a ser um diplomado, na ciência, na arte
Técnica das relações, das negociações e fazer
Parte do corpo dos representantes dos governos estrangeiros;
Junto com habilidade e manha de diplomação, ao
Receber o título e o documento oficiais, com que se
Confere um cargo, dignidade, mercê e privilégio,
Que afirma as habilitações de alguém e confere um
Grau: para de beber, evita a diplegia, a paralisia
Bilateral, como a diploide, a estrutura dupla do núcleo
Celular, o olhar um coco, e vê diplococo; é por isso que o
Diorito, a rocha de textura granular constituída
Essencialmente da oligoclásio, ou anderita e é um
Mineral fêmico, que quando bebe um pouco mais,
Começa a ver em diorama, tipo quadro iluminado
Superiormente por luz móvel e que produz ilusão
De ótica; a caminhar sempre com os olhos
Muito bem abertos, para ver sempre bem de perto,
Que de muito longe é que vem, na poeira
Do dioptro, no pó do sistema de dois meios
Ordinários, separados por uma superfície regular;
Embriagado pela dióptrica, a parte da Física que
Estuda a refração da luz e a tentar numa dioptria,
Numa unidade de convergência, como num sistema
Ótico cuja distância focal reduzida é igual a um
Metro e assim levá-la para dentro da nossa treva
Interior; nosso coração de dioptásio, de mineral trigonal,
Verde esmeralda, silicato de cobre hidratado, também
Chamado Dionísio, verde-estimologia, da natureza
Semelhante à de Baco, vibrante pelo vinho; agitado
Pelas mulheres, espontâneo para a orgia, instintivo pela
Boêmia, faminto pela carne, tanto quanto a dioneia,
Planta carnívora da América do Norte; e juntos
Para a folia de dioico, de ácidos orgânicos e de díodo, válvula
De dois elétrodos; esta é a minha diocese, a circunscrição
Territorial sujeita à administração eclesiástica de
Um bispo; e eu que sou o bispo diocesano, que
Comanda o festim, o banquete do dinotério, do gênero
De mamíferos proboscídeos, de formas gigantescas; e do
Dinossauro, réptil fóssil, carnívoro, ou herbívoro e a
Pesar entre 40 a 50 toneladas; e quando acordo
É que sinto, que a moeda corrente correu de mim,
A quantia perdeu a tia e a riqueza é só a
Alheia, contemplativa; o dinheiro é só o pesadelo,
A dinheirama não passa nem perto de mim,
Só muito bem escoltada; Deus não é meu dindinho,
Não é meu padrinho e Nossa Senhora, não é a minha
Dindinha, não é minha madrinha; pois se fossem, a
Vida para mim seria outra, teria mais sorte e menos azar,
Seria mais feliz e menos infeliz; e eu choraria menos e riria
Mais, pensaria mais na vida e esqueceria mais
A morte; e o meu mau, grado, dinástico malgrado meu,
Seria o mesmo a que diz respeito à dinastia; teria a certeza
E a razão da mesma série de soberanos pertencentes à uma
Mesma família; teria a mesma prosperidade de uma boa
Estirpe e não precisaria usar o dinamômetro
Para medir forças com o destino; desprezaria o dinamiômetro,
Abriria mão da medida de força e da dinamometria,
Para não precisar impor a felicidade pela força;
Seria tudo naturalmente, regido pelas leis da
Natureza, tudo na normalidade e nada fora
Do normal e assim a dinamogenia da euforia,
A exaltação funcional de meus órgãos, sob a influência
De qualquer excitação seria evitada, bem como o
Dinamogênico e o dinamiogênico da vontade de beber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário