terça-feira, 1 de agosto de 2017

Nada sou e sou apenas esta pequena ave; BH, 040802000; Publicado: BH, 080102014.


Nada sou e sou apenas esta pequena ave,
De plumagem colorida, da família dos troquilídas,
Que suga o néctar das flores; ai de mim, malgrado
Meu, quem me dera ser um beija-flor, quem me
Dera ser um colibri; e ter em cada uma das partes
Exteriores que formam o contorno da boca: a boca de
Uma mulher; e ter preso em cada lábio, um lábio feminino
De lamber os beiços e de apreciar muito, uma boca graciosa,
Cheia de graça e de não amuar nunca; e dar beijo de graça e 
Ganhar beijo grátis e ficar caído de apaixonado; e nunca
Deixar de pagar, intencionalmente, dívida contraída
Com os companheiros; e fazer beicinho no banheiro,
Muxoxo e começar a chorar, ficar amuado e aborrecido,
Se ela falar que não vai mais beijar; e não vai
Mais amar e empregar a doutrina psicológica
Restrita ao estudo objetivo de reações e estímulos
Relativos ao comportamento e que exclui toda e
Qualquer referência a fatos anímicos; o behavorismo,
Um buquê de begônia, gênero de plantas ornamentais,
Da família das begoniáceas, de cor bege, amarela
Queimada; ou do beduíno, árabe do deserto, de
Vida nômade, sem meter o bedelho, intrometer-se
Em conversa, ou assunto alheios; e passar a tranqueta
E o ferrolho na porta, que não sou funcionário
Subalterno de estabelecimento de ensino, não sou
Bedel e nada tenho a ensinar; minha vida é 
Um beco, como uma rua estreita e curta, sinto
Estar num beco sem saída e encontrar-me 
Em situação difícil, num impasse e em 
Dilema de um desempregado; meu comportamento
Mudou á beça, em grande e indeterminada
Quantidade; só me falta andar nu e sem 
Beca, a veste talar usada por magistrados
E advogados, quando no exercício de suas 
Funções no tribunal; ando nu, igual mendigo
Sem toga, túnica, usadas em certas solenidades
Por professores e alunos; não tenho roupas e nem 
Terno, tudo que tinha transformei em 
Bebível, no que pudesse ser bebido, potável, ou
Não; e fiquei bêbado, com aquilo que se bebe,
Em especial quando contém álcool, a bebida
Dos deuses e virei um beberrão, chego a estar
Constantemente bêbado; e não sei bebericar, beber
Em pequenos goles, poucos, mas seguidamente,
Porém, de beberagem eu fujo; da bebida
Medicinal de fabricação caseira, de mezinha,
Saio a correr, de qualquer bebida desagradável;
Gosto de beber, ingerir líquido alcoólico, absorver
No bebedouro, que quando acionado, fornece
Jatos d'água filtrada e gelada para curar
A ressaca; como num depósito de águas para
Animais, sou um péssimo bebedor, bebo muito e mal,
Fico bêbedo na bebedeira, num estado de bebê;
E igual ao bebé, a uma criança de colo, fora de
Mim, por efeito do álcool; embriagado, mais
Do que inebriado, uma pessoa dada ao
Vício da embriaguez; sem vocação para
Beato, que não recebeu beatificação do papa e nem
Quer receber; não tenho indicação para ser beatificado
E nem sou devoto em excesso e na crendice
Popular, não sou dotado de poderes místicos; e
Nem para resolver os meus problemas, não atingi
A beatitude, a bem-aventurança, a felicidade
Celestial; sou humano de carne e osso, tenho
Fome carnal e o espírito beatífico me abandonou;
Não quero que o papa venha me beatificar e nem
Incluir meu nome no rol dos bem-aventurados,
Não quero me tornar feliz, por decisão do papa; não
Quero louvar muito a beatice, o modo beato e a
Hipocrisia religiosa; ainda estou no bê-a-bá da
Literatura, no abecedário da escrita; tenho só
Noções elementares de qualquer coisa e não posso
Continuar a mostrar bazófia, contar vantagem, bazofiar
Inda sem saber os segredos das letras, da gramática,
É triste a minha ostentação de riqueza; deprimente
A falsa força e a qualidade com a vaidade: triste fim o meu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário