segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Não recebo rendimentos de párocos e nem dádivas e nem benesses; BH, 060802000; Publicado: BH, 02601202013.


Não recebo rendimentos de párocos e nem dádivas e nem benesses De ordem nenhuma; estou mesmo é desempregado e não a usufruir Beneplácitos, licença de trabalho, ou consentimento de chefe para Gozar uns dias com aprovação por algum benemérito; já que não Mereço honras e o sócio que prestou serviços relevantes, a uma Entidade, não sou eu, não sou benemerente e por justiça, não Mereço ser digno de elogio; não mereço recompensa, meu Merecimento é o salário do pecado: a morte, nada existe de
Salutar na minha benemerência; não sou benéfico à sociedade, à Família, ao meio ambiente, não aprendi a ser bondoso e o meu Benefício não faz bem à natureza humana; não faço caridade e
Nem por favor e não trago melhorias às instituições e no tratamento E seleção de produto agrícola, não entro como benfeitoria; nunca
Tive lucro e nem vantagem na vida e dos direitos que na legislação Social, são concedidos a alguém, através de benefício, nunca
Usufruí de nenhum, nem sequer os conheço e sei que existem; não São para mim, um marginal não beneficiável e em meu favor não
Foi constituído nada de beneficiário; e mesmo quando sou
Suscetível a me favorecer, a burguesia precisa a se reparar comigo, A apurar igual metais e lavrar e adubar e submeter tudo a
Tratamento que me deixe em condição de ser consumido, ou Utilizado; e ao beneficiar eclesiástico, não pensar que está a
Garantir a entrada ao céu; e o tal melhoramento em imóvel, é um Beneficiamento próprio, como misturar vinho com aguardente, para Resistir as temperaturas baixas e torná-las elevadas; não sou Beneditino e nem pertenço à ordem de São Bento, não sou homem Erudito e nem muito paciente, passo longe de ser monge; de praticar Beneficência, de praticar caridade, de ser beneficente, coisas que Não sei o que são, não tenho nem conhecimento; é por isso que não Ouço ninguém me bendizer, dizer bem de mim, glorificar o meu Nome, me abençoar; não sou bendito na terra, abençoado entre os Homens, feliz e em oração católica que começa com essa palavra, Bendito, eu não encontro a paz, o fim da guerra, da fome, da Tragédia, da desgraça, da miséria, da pobreza, da injustiça;Não posso receber benção e nem esperar que alguém venha me
Abençoar, ou me benzer igual à minha avó fazia; e não procuro
Cerimônias religiosas em que se benzem pessoas, ou objetos
E a única pessoa mais velha e respeitável que me abençoava,
Era a minha falecida avó Naninha, mãe de minha mãe Maria da
Conceição Santos Medina; não posso ser bem-vindo e recebido
Com agrado no mundo, não posso vir em momento oportuno,
Enquanto não acabar a hipocrisia, a falsidade e a mentira,
A ilusão e a desigualdade no planeta; enquanto não
Acabar a burguesia, enquanto não acabar a elite, o
Mundo não conhecerá a felicidade de ver um bem-te-vi,
Pássaro da família dos Tiranídeos, voar pelo azul do céu;
Não posso dizer meu bem querer, com tanto ódio no mundo,
Não posso querer bem, com tanta raiva no coração; não posso
Estimar com tanto ódio dentro de mim, não posso
Amar a minha pessoa, ser uma pessoa amada e ter uma
Pessoa amada por mim, com tantos solitários no mundo,
Tantos abandonados e desprezados; só mesmo um bemol, o
Acidente que abaixa de meio tom o valor de uma nota
Musical, para diminuir a ganância , a vaidade e o
Orgulho da sociedade; só mesmo o sinal que apresenta
Esse acidente, para diminuir do pedestal o bem-nascido,
O de boa família, com teto e com terra, com salário e
Com comida e com lazer e com diversão, com trabalho
E com todos os tipos de bens; o bem-me-quer da sociedade,
A planta da família das compostas, a flor dessa planta, a
Adivinhação amorosa que se faz ao despetalar essa flor, que
O sem teto não conhece, o sem terra também não, o sem
Comida não sabe o que é, o sem salário não pode
Ser bem-humorado e o sem emprego não pode estar de
Bom humor, não existe bem-feito entre os desprivilegiados;
Não existe bem-acabado entre os sem shoppings, não
Conhecem o ótimo, o bem estar, o estado de inteira
Satisfação, o conforto de proporção de riqueza, o bem-bom
Da opulência, a comodidade do dinheiro, a folga e o sonho
Da bem aventurança, da felicidade celestial a glória eterna.


Nenhum comentário:

Postar um comentário